Nacional de Bodysurf encerra Ocean Spirit 2022

Um domingo diferente.

O Santa Cruz Ocean Spirit – Festival Internacional de Desportos de Ondas acolheu a 4.ª etapa do Campeonato Nacional de Bodysurf, que decorreu este domingo na Praia do Mirante. Jaime Bonito, o campeão nacional em título, foi o grande vencedor desta etapa na categoria Open, que contou com uma paragem ao final da manhã que veio a permitir “altas ondas na final”.

“Fiquei bastante contente com a minha prestação, como me senti dentro de água, com o meu físico”, disse Bonito após a cerimónia de entrega de prémios daquela que foi a primeira etapa que venceu este ano. “O espírito para a próxima etapa é ganhar, para no próximo ano voltar ainda mais forte e reconquistar o título”, atirou o atleta.

O prémio de melhor onda do campeonato (8.17) foi entregue a Rodrigo Carrajola, que disputa, neste momento, o título nacional com Diogo Areias. Os dois atletas saíram de Santa Cruz na 2.ª e 3.ª posição do pódio, respetivamente, deixando a decisão do campeonato para a quinta e última etapa, que se realiza em Cascais a 1 ou 2 de outubro.

Além do circuito principal, Santa Cruz acolheu a realização da quarta etapa do Bodysurf Junior, onde Guilherme Santos se sagrou Campeão Nacional Junior 2022 após uma luta renhida com Tiago Mesquita.

“É sempre um prazer receber a família do bodysurf, que representa também uma tradição de Santa Cruz e traz valor ao Santa Cruz Ocean Spirit”, afirmou a presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Laura Rodrigues, durante a cerimónia de entrega de prémios que culminou no habitual mergulho dos atletas na piscina da Aldeia Neptuno.

Open
01. Jaime Bonito
02. Rodrigo Carrajola
03. Diogo Areias
04. Rafael Elias

Junior
01. Guilherme “Gui” Santos
02. Tiago Mesquita
03. Carlos Guimarães
04. David Nascimento

Quando o mar é uma prioridade

Esta manhã também ficou marcada pela sessão freestyle de jet ski. José Anjos foi um dos cinco pilotos a dar espetáculo dentro de água. “Há mais de 30 anos tive a sorte de ganhar um dos primeiros jet skis que apareceram em Portugal”, recorda, lembrando que foi um dos pioneiros no país, graças a um concurso da Nivea que acabou por vencer. Aos 62 anos, confessa que tem “o bichinho da competição motorizada, foram 30 anos seguidos de corridas.”

Se é verdade que abandonou as corridas há dois anos, também é certo que “o mar continua no topo das prioridades.” A paixão “não acaba” e José considera que a iniciativa do Santa Cruz Ocean Spirit “é fabulosa, porque o jet ski é uma atividade desportiva que está mal amada.” Dentro de água, estiveram ainda os pilotos Sérgio Cosme e Henrique Santos, assim como a dupla de pai e filho de nome Nuno Gomes.