Francisco Cruz defende título nacional de Masters

Prova tem lugar a 5 e 6 de novembro. 

As águas da Praia do Marcelino, na Costa de Caparica, vão subir de temperatura nos dias 5 e 6 de novembro, com a reedição de antigas (e algumas nem tanto assim) rivalidades do surf português, por ocasião do Campeonato Nacional de Surf Masters. Evento dedicado a um dos nomes maiores do surf nacional que faleceu em novembro do ano passado: João Alexandre “Dapin”.

Esta prova coloca frente a frente alguns dos ícones do surf luso das últimas décadas, agrupando-os nas categorias de Masters (+35 anos), Grand Masters (+40), Kahunas (+45) e Big Kahunas (+50).

Oportunidade para reencontros de amigos, mas também para escrever novos capítulos de duelos que moldaram a história recente do surf em Portugal.

Um dos emblemáticos surfistas locais de Santa Cruz, Francisco Cruz, é o atual campeão nacional de Grand Masters (+40) e embora já tenha 46 anos, diz que ainda não decidiu em que categoria se inscreverá ou se competirá mesmo nas duas. “Tudo depende das previsões”, diz, salvaguardando o desgaste físico de participar em mais baterias, e acrescentando que “Quero lá ir para dar o meu melhor. Quando ganhamos uma vez queremos sempre ganhar mais.”

Questionado acerca do espírito da competição e das tão propaladas rivalidades, Francisco diz que não tem nenhuma em especial, mas avisa: “Sempre gostei de competir e não tenho nenhuma rivalidade em especial, mas há algumas que sobreviveram aos anos, atenção. O Tiago Pires e o David Luís, por exemplo, ou o “Grego” [José Gregório] e o João Antunes, entre outras. O espírito é o mesmo do passado. Quer dizer, há mais convívio e brincadeira, mas quando chegamos à água, todos queremos ganhar e chegar o mais longe possível. Existe um espírito salutar, mas há competição até ao fim!”

Na presente temporada Francisco Cruz compete sob as cores e os valores da Associação Sealand Santa Cruz.