Época balnear em Santa Cruz inicia a 27 de junho

Medidas resultam de reunião com os concessionários de praia. 

A Câmara Municipal de Torres Vedras definiu, ontem, as medidas a implementar no âmbito da época balnear deste ano, que irá decorrer entre 27 de junho e 30 de agosto. As medidas resultam da reunião com os concessionários de praia do concelho de Torres Vedras, que decorreu esta tarde, complementando as medidas anunciadas pelo Governo da República.

A vigilância da costa do concelho de Torres Vedras irá decorrer entre 20 de junho e 20 de setembro, período em que irá circular a viatura do projeto “Praia Segura”. A vigilância será, ainda, reforçada através de moto 4 e de pilotos de parapente. 

As praias de Santa Helena, do Guincho e Formosa irão contar com rececionistas de praia para receber os banhistas e gerir a capacidade de carga das praias.

Saúde, segurança e sustentabilidade irão caracterizar a época balnear na costa do concelho de Torres Vedras, que conta com 20 quilómetros de extensão e se prepara para dar início à época balnear em contexto de pandemia causada pela COVID-19.

Sobre as datas mencionadas em cima, que lançaram algumas dúvidas na população, nomeadamente sobre a impossibilidade de se fazer praia entre 6 e 27 junho (o período que antecede o início da época balnear em Santa Cruz), obtivemos hoje, 18 de maio, o seguimento esclarecimento junto da Câmara Municipal de Torres Vedras: 

De acordo com a Resolução do Conselho de Ministros n.º 38/2020, publicada ontem, 17 de maio, em Diário da República, que prorroga a declaração da situação de calamidade, no âmbito da pandemia da doença COVID-19, é permitido a deslocação “para efeitos de fruição de momentos ao ar livre, designadamente em parques, nas marginais, em calçadões, nas praias, mesmo que para banhos, ou similares”.

Posto isto, considerando a declaração da situação de calamidade em vigência, é possível as pessoas frequentarem as praias embora exista um risco elevado se forem ao mar uma vez que não existe vigilância neste momento. Importa ainda referir que devem, no entanto, cumprir com as demais orientações da Direção Geral de Saúde.