A aposta na sustentabilidade

Etiópia dá o exemplo e bate recorde.

A extração de madeira e os direitos de propriedade mal definidos levaram a um declínio dramático na cobertura florestal da Etiópia, que hoje ocupa menos de 4% do país. Para reverter esta realidade, o governo de Abiy Ahmed lançou a campanha #GreenLegacy (Legado Verde, em português) e no final de julho incentivou mesmo voluntários a plantar uns impressionantes 350 milhões de árvores em apenas 12 horas.

A marca é tida como um novo recorde mundial e ultrapassou as expectativas dos organizadores. A meta inicial era plantar 200 milhões, número que por si só já bastaria para bater o recorde anterior, da Índia, que em 2017 plantou 66 milhões de árvores no mesmo período de tempo.

O programa de sustentabilidade etíope tem como objetivo reflorestar as grandes áreas de terra do país, visando plantar um total de 4 bilhões de árvores (cerca de 40 por habitante) até outubro. Segundo o Ministério da Agricultura, graças ao sucesso do último serviço comunitário, 2,6 bilhões de novas árvores já estão no solo.

Segundo o Fórum Económico Mundial, os efeitos da mudança climática atingiram fortemente a população agrária da Etiópia. A expansão desordenada da agricultura causou a degradação da terra e a erosão do solo, enquanto o aumento das temperaturas faz com que os agricultores enfrentem uma ameaça constante de eventos climáticos extremos, como secas e inundações.

Uma recente pesquisa estima que 15 bilhões de árvores são cortadas a cada ano, estimulando o aquecimento global. Já um estudo realizado pela WWF mostra que o desmatamento é responsável por mais de 15% da emissão de gases do efeito estufa. Em geral, o carbono extraído da atmosfera pelas florestas é armazenado nos galhos e nos troncos das árvores e uma vez que estes são cortados e queimados, o gás é novamente libertado.

Uma campanha que, acima de tudo, procura consciencializar o público para a degradação ambiental na Etiópia.


Fonte_Globo.com