28 portugueses competem no QS de Santa Cruz

Prova tem lugar de 11 a 16 de maio.

Vinte e oito portugueses vão competir no QS3000 de Santa Cruz, prova de qualificação da World Surf League que irá realizar-se entre 11 e 16 de maio, sendo a primeira prova do QS europeu a realizar-se na presente temporada e a primeira em todo o Mundo, depois das quatro realizadas apenas na Austrália. Destaque para o forte contingente luso, liderado por Vasco Ribeiro que é o número um do seeding.

Vasco beneficia do facto de ter tido um grande arranque de temporada de 2020, ocupando o top 20 mundial antes de a pandemia ter interrompido o circuito de qualificação mundial. Agora, surge como o melhor europeu para esta prova e vai liderar uma armada lusa composta, para já, por 28 nomes, numa altura em que ainda há mais de 30 vagas livres.

Do total das 144 vagas, há já 112 surfistas inscritos, com praticamente todos os grandes nomes europeus presentes. Os top seeds que se seguem a Vasco Ribeiro são o marroquino Ramzi Boukhiam e o francês e ex-top do WCT Joan Duru. Destaque ainda para a presença de nomes como Aritz Aranburu, Maxime Huscenot, Kauli Vaast, Marc Lacomare, Jonathan Gonzalez, Tim Bisso ou Jorgann Couzinet.

Em virtude do ranking, Vasco Ribeiro vai garantir entrada direta para a 4.ª ronda do evento. O mesmo acontece com Guilherme Fonseca (atelat Sealand) e Pedro Henrique. Pedro Coelho, Jácome Correia, Luís Perloiro, Diogo Martins, Miguel Blanco, Afonso Antunes, Eduardo Fernandes, Francisco Almeida e Martim Carrasco são os surfistas lusos que entram diretamente para a ronda 3.

Seguem-se com entrada direta na ronda 2 Francisco Carrasco, João Vidal, Miguel Matos, Henrique Pyrrait, Martim Paulino, Gabriel Ribeiro, Raul Bormann, Halley Batista, Guilherme Ribeiro, José Champalimaud, Martim Nunes, Joaquim Chaves, Rodrigo Chaves e ainda o veterano Ruben Gonzalez e o regressado a provas internacionais Tomás Fernandes. Resta ainda Rafael Silva, que começará a sua prestação na ronda inaugural.

Destaque ainda para vários nomes de surfistas que residem em Portugal, mas que competem por outras nações, como são os casos dos alemães Marlon Lipke e Dylan Groen ou o britânico Arran Strong, ou dos brasileiros Cainã Souza e Lucas Silveira (antigo campeão mundial júnior que passa uma boa parte do ano por cá). 

Os surfistas portugueses partem para esta etapa com o objetivo de se posicionarem nos lugares mais altos do ranking regional europeu, neste novo formato do circuito QS, onde apenas os oito melhores de cada região conseguem apurar-se para disputar as Challenger Series e o acesso ao circuito mundial na segunda metade da temporada, a partir de julho.