S (Sealand) – Olá Tiago e bem-vindo ao clube Sealand. Primeiro, queremos agradecer teres aceite o nosso convite para integrar a equipa Sealand 2017, agora que Santa Cruz voltou a ter um clube de Surf. Começando por uma retrospectiva do que foi o ano passado, ganhaste o Circuito Regional Zona Centro em sub18, que te apurou para o Nacional de Esperanças. Queres falar um pouco sobre isso? Depois de ganhares a Zona Centro, a etapa final do nacional não correu como esperado?

T (Tiago Santos)  O ano passado foi um ano um pouco complicado, pois infelizmente tive três lesões um pouco para o complicadas onde fiquei impossibilitado de surfar por 4 meses. Foi bom ter alcançado o título de campeão sub18 do Circuito Regional Zona Centro no meu último ano neste escalão, pois deu para demonstrar um pouco do trabalho que tenho feito ao longo destes anos. E sim, na finalíssima não me encontrei com as boas ondas, o que me impossibilitou de alcançar o meu objectivo.

S – Foi o teu último ano como sub18, este ano é o ano de entrares no mundo dos tubarões. No ano passado ainda deste uns shots em 3 etapas da Liga Moche. Como viste a experiência? Foi a primeira vez que entraste no nacional?

T – Foi uma boa experiência, pois deu me algum orgulho estar a competir ao lado de alguns dos meus ídolos nacionais e passar uma fase num campeonato nacional deste nível é me bastante glorificante. Não, não foi a primeira vez que entrei num campeonato nacional. Já faço os campeonatos nacionais desde os  meus 12 anos, embora só tenha começado os nacionais opens há 2 anos atrás.

13735090_1363414790339603_4866886429821250297_o

S – Outro dos momentos altos terá sido com certeza a participação no QS1000 em Santa Cruz (wildcard dado pela organização em conjunto com a Sealand). Este ano, tens expectativa de participar em algum QS?

T – A minha participação no QS1000 em Santa Cruz foi muito bom, pois deu para competir ao lado de pessoas com alto nível de surf e também por sentir todo o apoio que os meus amigos e familiares me deram quando estava dentro de água. E sim gostava bastante de participar num QS este ano.

S – Os teus treinos são quase sempre em Santa Cruz? Quais os teus picos preferidos em Santa?

T – Não, eu vario bastante os meus locais de treino para me poder adaptar aos vários tipos de ondas que temos. Os meus picos preferidos em Santa são na Física e na Praia Azul.

img_3341

S – Sabemos que Santa Cruz não tem a consistência de ondas dos nossos vizinhos da Ericeira e Peniche. Apesar disso, como vês o potencial de Santa Cruz para os desportos de ondas?

T – Claro que sim, Santa Cruz tem bastante potencial de ondas quando os fundos estão bons, pois é uma onda com força. E mesmo quando está bom, não tem tanta gente dentro de água como nos outros sítios.

S – Sabemos, e vemos, que os teus pais são um grande apoio para o teu trajecto como atleta. São um misto de professores da vida e treinadores ao mesmo tempo?

T – Sim, os meus pais incentivam-me bastante para esta modalidade e também me vão ensinando o que sabem para eu poder melhorar a minha técnica.

S – Viagens de sonho? Indonésia já estiveste no ano passado, certo?

T – A minha viagem de sonho é na Indonésia. Sim, estive lá no ano passado com altas condições e com uma alta team.

S – Quais os objectivos para 2017? Já tens?

T – De momento ainda não tenho objectivos definidos para 2017, mas espero poder evoluir bastante o meu surf progressivo e de rail.

S – Falando agora um pouco do hype que o surf tem neste momento e o peso que  indústria do surf tem, como achas que vai ser o futuro do surf em Portugal? Temos WSL, QS, Big Wave, o Kikas na Tour, jovens campeões da Europa, temos tudo para ser uma potência mundial dentro de 10/ 15 anos ou é “viajar demais”?

T – Não, julgo que não é viajar demais. Para além de todos esses eventos que estão a surgir neste momento, Portugal está a criar cada vez mais jovens com grande potencial no seu escalão e que, em princípio, serão grandes exemplos de surfistas a nível mundial.

S – Obrigado pelo teu tempo Tiago. Grandes ondas e muito sucesso para este ano competitivo! Estamos cá para ajudar no que for preciso para que isso seja uma realidade.