Eurosurf arranca no sábado

15 seleções nacionais lutam pelo título de melhor nação de surf.

Huw John, presidente da ESF, tece rasgados elogios a Portugal e justifica a opção pela escolha de Santa Cruz como palco do Eurosurf 2019, que decorre naquela localidade do concelho de Torres Vedras, entre 20 e 28 deste mês, ou seja, a arrancar já no próximo sábado.

Portugal vai receber, entre 20 e 28 deste mês, o Eurosurf 2019, o campeonato da Europa de surf, com Santa Cruz, no concelho de Torres Vedras, a constituir o palco onde 15 seleções nacionais se defrontarão pelo título de melhor nação de surf do Velho Continente.

A Seleção de Portugal é a campeã em título mas terá de bater Dinamarca, Irlanda, Alemanha, Itália, Bélgica, Rússia, Inglaterra, Suíça, Noruega, País de Gales, Escócia, Suécia, Espanha e Holanda na luta pelo troféu.

A escolha do nosso país para a organização deste importante certame depois do sucesso do Eurojunior – o Europeu de juniores do ano passado, também em Santa Cruz -, foi baseada em vários fatores, explica Huw John, presidente da Federação Europeia de Surf (ESF): “Construímos uma boa relação com o presidente da Câmara de Torres Vedras, que percebeu o poder mobilizador do surf, e dos nossos eventos em particular. Santa Cruz acolheu-nos bem e possibilitou, com o festival Ocean Spirit, que o Eurojunior fosse um grande espetáculo.”

O líder da ESF não poupou elogios à organização, mas também à simpatia do povo português, a sua paixão pelo surf e as condições de exceção que o nosso país apresenta para os desportos de ondas. “Há dois fatores que gosto de destacar em Portugal: o calor humano do vosso povo e a consistência das ondas. Numa altura em que quase não há ondas no hemisfério norte, tenho a certeza que teremos ondas de qualidade em Santa Cruz. Mas Portugal é um país que está em destaque no mundo do surf, quer pelas ondas como pela qualidade dos seus eventos. Neste momento, Portugal está no pelotão da frente do surf mundial.”

Também João Aranha, presidente da Federação Portuguesa de Surf (FPS), se congratula pela opção da ESF: “É um privilégio ter o Eurosurf em Portugal, e é bom para a nossa Seleção pois permite-nos competir com conforto, apesar da responsabilidade acrescida de sermos campeões europeus em título. Mas Portugal é uma escolha quase óbvia, tem uma organização fora de série no Santa Cruz Ocean Spirit e é um dos poucos sítios com ondas em Portugal nesta altura do ano. É uma ótima escolha.”